Instituto São Cristóvão

Cursos oferecidos pelo ISC

20pxmopp-120px 20pxescolar20px 20px coletivo-1 20px emergencia 20pxreciclagem-1

  

 

motofretepeb

 

letra_mopp

letra_escolar letra_coletivo letra_emergencia letra_reciclagem MOTOFRETE

ISC se prepara para ofertar novo curso aos trabalhadores

IMG 1332

Cuidar dos trabalhadores e oferecer qualificação profissional é o que traz melhorias para os profissionais da categoria de transportes. Mais do que dirigir, ficar atrás das mesas de escritórios ou realizar manutenção, os trabalhadores precisam se atualizar. E essa atualização só vem com o conhecimento.

Pensando nisso, o Instituto São Cristóvão (ISC) organiza a oferta de um treinamento novo, que é o curso de oratória.

Embora esse seja direcionado inicialmente aos dirigentes do Sindeesmat, a proposta futura é que seja destinado a outros sindicatos da categoria dos trabalhadores em transportes rodoviários.

A qualificação proporciona autoconhecimento, melhora a comunicação e a própria autoestima dos trabalhadores. Como se sabe, a comunicação é um dos fatores que contribuem para o fortalecimento do movimento sindical.

O presidente do ISC, João Batista da Silva, esclarece que o curso é uma forma de preparar os dirigentes sindicais para dialogar diretamente com os trabalhadores e demais sindicalizados. Algumas práticas são necessárias aos dirigentes, como, por exemplo, exercício da fala, linguística e até mesmo postura corporal.

“Sentimos a necessidade do movimento sindical investir na comunicação com o objetivo de ampliar a interlocução com os trabalhadores. E a oratória é um dos fatores que proporciona isso”, salienta João Batista.

A finalidade do treinamento, segundo a advogada e instrutora Beatriz Oliveira de Paola, é trazer autoconhecimento por meio da oratória.

“O curso é voltado para o aprimoramento humano, para a pessoa se enxergar melhor, se empoderar. Ela se conhecendo, vai descobrir as suas qualidades e defeitos”, explica a instrutora.

As aulas são feitas com dinâmicas para que os alunos se sintam à vontade. A instrutora expõe, ainda, que costuma gravar vídeos dos alunos. O objetivo é fazer com que eles consigam melhorar a autoestima, pois isso também reflete no desempenho profissional e na comunicação com os demais membros da categoria.  

O curso de oratória tem duração de 30 horas e costuma ser aberto para uma equipe de 20 a 25 alunos. A princípio, o treinamento será ofertado nos dias 4, 11 e 18 de junho na sede do ISC, que está localizado na rua Dr. Pedro Ribeiro Macedo da Costa, 694, Vila Isabel.

Quem quiser saber mais informações, pode telefonar para o número (41) 3015-3300.

Fonte: ISC

   

Assembleia aprova balanço da Fetropar e discute urgências

IMG 0982

A construção do movimento sindical é feita por meio do diálogo com as necessidades da categoria e a transparência na gestão das contas. Para atender essas urgências, a Federação dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Estado do Paraná (Fetropar) realiza, periodicamente, a Assembleia Geral Ordinária.

Em 5 de maio, os membros da diretoria e os presidentes representantes dos mais de vinte sindicatos se reuniram na sede da entidade para analisar o balanço da Federação e as necessidades dos sindicatos e dos próprios trabalhadores.

No encontro, os membros participantes aprovaram a prestação de contas do Instituto São Cristóvão (ISC) e da própria Fetropar. Alguns sindicatos debateram a necessidade de ampliar a oferta de novos cursos. Na discussão do dia, também foram abordadas as exigências que atingem os trabalhadores do setor de transportes.

É o caso, por exemplo, do exame toxicológico, obrigatório para todos os motoristas das categorias C, D e E que desejam renovar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH). O exame é capaz de detectar diversos tipos de drogas, como maconha, morfina, cocaína e até mesmo metanfetaminas, conhecidas pelos caminhoneiros como o popular rebite.

Durante a Assembleia, alguns dirigentes sindicais sugeriram que os trabalhadores sejam orientados pelos sindicatos sobre a importância do cumprimento da jornada de trabalho e os perigos do uso de substâncias estimulantes para permanecer acordado.

Para cumprir jornadas de trabalho exaustivas, muitos caminhoneiros usam rebite. Uma das propostas é a de que os sindicatos façam informativos sobre as consequências do comportamento e de como isso afeta o próprio exame.

Outro ponto discutido foi a questão dos direitos trabalhistas. Para o presidente da Federação, os sindicatos filiados precisam estar atentos à atual conjuntura política nacional. Os trabalhadores também precisam lutar contra possíveis medidas que retirem direitos trabalhistas conquistados ao longo dos anos.

“Estamos preparados para lutar contra retrocessos eventuais que sejam propostos”, enfatizou.

Transparência em jogo

A Assembleia para a prestação de contas acontece uma vez por ano. Conforme explicação do presidente do Sindicato dos Trabalhadores Condutores de Veículos Rodoviários e Anexos de Umuarama (SINTRAU), Hailton Gonçalves, o objetivo do encontro é atestar a transparência da entidade e aprimorar o vínculo entre sindicatos e Federação

“Estamos aí para analisar as notas o andamento da Federação. Vemos a transparência da entidade nessa situação. Ela é bem nítida”, avalia. Para ele, a Assembleia é uma das oportunidades que os representantes dos trabalhadores têm para debater assuntos essenciais à categoria.

As reuniões são necessárias para avaliar as condições da própria Federação e dos sindicatos. É o que discute o presidente do Sindicato dos Motoristas Condutores de Veículos Rodoviários e Trabalhadores em Empresas de Transportes de Cargas, Passageiros Urbanos, Motoristas, Cobradores de Linhas Intermunicipal, Interestadual e de Turismo e Anexos de Maringá (Sinttromar), Ronaldo José da Silva.

“A importância de tudo isso é que a Federação tenha um bom andamento, que os sindicatos tenham uma boa ligação com a Federação e que esses, por sua vez, representem muito bem as necessidades da nossa joia maior, que são os trabalhadores”, afirmou.

Fonte: Fetropar

   

Conselho Fiscal da Fetropar aprova balanço trimestral

IMG 0804-300x200

Transparência na gestão de uma entidade é um dos fatores fundamentais para a garantia de reconhecimento do trabalho. Com a Federação dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Estado do Paraná (Fetropar), não é diferente. Em 4 de maio, o Conselho Fiscal realizou um encontro na sede da entidade, para fazer um balanço dos gastos do último trimestre.

Conforme a avaliação dos diretores, o saldo do período foi positivo. A arrecadação foi maior que o previsto e as despesas ficaram abaixo do esperado. A reunião do Conselho, segundo o presidente da Fetropar, João Batista da Silva, é importante para mostrar a transparência na gestão financeira da Federação.

Ao todo, mais de 20 sindicatos estão filiados à entidade e atendem os trabalhadores do Paraná. O presidente do Sindicato dos Trabalhadores de Transportes Rodoviários de Guarapuava (Sintrar), Jair Korobinski, destacou que a reunião do Conselho Fiscal é importante não só para a entidade, mas também para os filiados. Segundo ele, essa é uma forma de ficar por dentro de toda a situação financeira da Fetropar.

“Se a Federação estiver bem, todos os associados, que são os sindicatos de todo o estado do Paraná, saem ganhando”, afirmou Jair. Ele explicou que o deslocamento até a sede da Fetropar também é uma forma de colaboração dos sindicatos.

Durante o encontro, os conselheiros fiscais acompanharam, por meio dos relatórios, as receitas e as despesas da entidade. Para o conselheiro da Fetropar e tesoureiro do Sindicato dos Empregados de Empresas de Transportes de Passageiros Intermunicipal, Interestadual e de Turismo de Cascavel (Sinetrapitel) Claudio Francisco Mistura, algumas dúvidas foram sanadas e a reunião deixou os sindicatos tranquilos quanto à movimentação financeira.

“O superávit representa a situação que o país está vivendo até o momento: emprego e pessoas trabalhando. O nosso medo é com a turbulência do governo daqui para frente”, afirmou.

Fonte: Fetropar

   

ISC fecha 2015 e primeiro trimestre 2016 com saldo positivo

IMG 0761

Para o Instituto São Cristóvão (ISC), 2015 foi melhor que 2014. Isso porque, em virtude das receitas que o Instituto recebe e da oferta de cursos, as contas tiveram um superávit.  Esse foi o balanço feito pelos conselheiros fiscais do ISC na quarta-feira (4), na sede da Federação dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Estado do Paraná (Fetropar).

No decorrer do ano, os conselheiros fiscais se encontram a cada trimestre e examinam os balancetes do respectivo período. Conforme explicação do presidente do ISC e da Fetropar, João Batista da Silva, o saldo positivo para o Instituto faz referência a um período de relativa prosperidade e pleno emprego.

“As contas positivas também são resultado de um percentual da receita da Fetropar, que é transferido para o ISC. Se lá teve um aumento, o percentual que vem para cá é maior também”, analisa João Batista. 

De acordo com o contador do ISC, Antônio Eduardo Neves Gongora, o Instituto conseguiu melhorias. “Teve anos que tinha déficit. Teve anos que teve um superávit um pouquinho maior. Em 2015, a gente teve um superávit de mais de R$ 145 mil”, explica Antônio. 

Fora isso, o ISC é credenciado para receber o repasse de multas de algumas ações judiciais feitas pelo Ministério Público. Quando este faz uma ação civil contra uma empresa que está descumprindo uma determinada lei, por exemplo, a penalidade imposta àquela empresa é, muitas vezes, uma multa. Esse valor pode ser destinado às instituições que não têm finalidade lucrativa.

“O ISC está credenciado pelas suas características – por ser uma entidade de formação profissional e sindical sem fins lucrativos – para receber esse repasse”, analisa o presidente.

Demanda por novos tipos de cursos

Os cursos que o Instituto oferece são voltados aos programadores de máquinas e motoristas, como cursos de transporte coletivo de passageiros; transporte escolar e Movimentação e Operação de Produtos Perigosos (MOPP). Durante o encontro, foi apresentada uma demanda nova, que é a oferta de curso para outros públicos, como o pessoal de escritório, da manutenção e da segurança. 

“O ISC pode ser reprogramado para estabelecer uma oferta maior de oportunidades. Estamos tentando, também, estruturar um corpo docente próprio que possa estar disponível para os sindicatos que compõem a Federação”, finaliza o presidente.

O diretor do Instituto, Munir Varela, explica que é possível atender às solicitações de outros sindicatos. “Acho que seria interessante o Instituto visitar dois sindicatos por mês, ao longo do ano, a fim não só de fazer a visita, mas de verificar também de que maneira é possível cooperar”, afirma.

Fonte: Fetropar/ISC

 

   

Pagina 1 de 36

Você está aqui: Home
NEWS2

Nome:
Email(Obrigatório):

AGENDA

inscricao22